5
(30)

FLUXO DE CAIXA - Diferença entre receita/cobrança e despesa/pagamento

Acelere seus negócios com estas dicas de especialistas sobre "Fluxo de caixa" - dê uma olhada e descubra esta DICA!

  1. O que é fluxo de caixa?
  2. Por que o fluxo de caixa é importante para uma empresa?
  3. Qual é a fórmula para calcular o fluxo de caixa?
  4. Quais são os tipos de fluxo de caixa?
  5. Qual é a diferença entre o fluxo de caixa operacional e o fluxo de caixa total?
  6. Como o fluxo de caixa é usado para avaliar a saúde financeira de uma empresa?
  7. O que pode afetar o fluxo de caixa de uma empresa?
  8. Como o fluxo de caixa de uma empresa pode ser melhorado?
  9. Por que é importante levar em conta o ciclo de caixa no cálculo do fluxo de caixa?
  10. Que estratégias podem ajudar uma empresa a gerenciar melhor seu fluxo de caixa?

O que é fluxo de caixa?

O fluxo de caixa é uma métrica fundamental para avaliar a viabilidade econômica de um novo empreendimento. O fluxo de caixa rrepresenta o fluxo de dinheiro que entra e sai da empresa em um determinado período de tempo, geralmente mensal. É importante levar em conta tanto as entradas (recebimentos) quanto as saídas (pagamentos) de caixa ao calcular o fluxo de caixa. Veja as DICAS sobre diferença entre venda e cobrança (ver+) e a DICA de diferença entre despesa e pagamento (consulte+).

Para calcular o fluxo de caixa de uma nova empresa, as seguintes etapas devem ser seguidas:

  1. Determine o período .... mês xxx, por exemplo, recomendo que você faça isso para os próximos 18 meses.
  2. Identifique todas as entradas de caixa em um determinado período. Isso pode incluir vendas realizadas, renda de aluguel ou arrendamento, entre outros.
  3. Identifique todas as saídas de caixa no mesmo período. Isso pode incluir pagamentos de salários, aluguel ou arrendamento de espaço de trabalho, pagamentos de custos de produção, pagamentos de impostos, entre outros.
  4. Subtraia as saídas de caixa das entradas de caixa para obter o fluxo de caixa líquido. Se o resultado for positivo, significa que a empresa tem mais entradas de caixa do que saídas, o que é um bom sinal. Se o resultado for negativo, significa que a empresa está gastando mais do que gera e precisará de financiamento.

É importante notar que o fluxo de caixa não é o mesmo que os lucros da empresa. O lucro é calculado subtraindo-se as despesas das receitas, mas não leva em conta as saídas ou entradas de caixa. Portanto, Uma empresa pode ter lucros contábeis, mas estar enfrentando problemas de liquidez se não tiver caixa suficiente para cobrir suas despesas. É essencial que uma nova empresa mantenha um fluxo de caixa saudável para cumprir as obrigações financeiras de curto prazo, como o pagamento de salários de funcionários, aluguéis e custos de produção. Além disso, o fluxo de caixa positivo também pode permitir que a empresa reinvista em seu crescimento e expanda seus negócios no futuro.

Exemplos práticos de cálculos de fluxo de caixa

Aqui estão alguns exemplos práticos de cálculos de fluxo de caixa:

  • Uma empresa tem uma receita de US$ 100.000 em um mês. Dessa receita, US$ 70.000 são pagos em dinheiro e o restante em vendas a crédito. Os custos totais da empresa para o mês são de US$ 80.000, dos quais US$ 60.000 são pagos em dinheiro. O restante será pago no mês seguinte. Efluxo de caixa da empresa para o mês é: 
    • Renda em dinheiro: US$ 70.000
    • Custos em dinheiro: US$ 60.000

Fluxo de caixa = receita de caixa - custos de caixa = 70.000 - 60.000 = US$ 10.000

  • Uma empresa obteve receitas de US$ 150.000 em um mês, dos quais US$ 120.000 foram recebidos em dinheiro e o restante foi vendido a crédito. Os custos totais da empresa no mês são de US$ 90.000, dos quais US$ 80.000 foram pagos em dinheiro e o restante será pago no mês seguinte. A empresa também investiu US$ 20.000 em maquinário. O fluxo de caixa da empresa para o mês é: 
    • Renda em dinheiro: 120,000.
    • Custos em dinheiro: 80,000.

Investimento em maquinário: -US$ 20.000 (pois é uma saída de caixa)

Fluxo de caixa = Receita de caixa - Custos de caixa - Investimento em maquinário = 120.000 - 80.000 - 20.000 = US$ 20.000

  • Uma empresa obteve receitas de US$ 200.000 em um mês, dos quais US$ 150.000 foram recebidos em dinheiro e o restante foi vendido a crédito. Os custos totais da empresa para o mês são de US$ 130.000, dos quais US$ 100.000 foram pagos em dinheiro e o restante será pago no mês seguinte. A empresa também recebeu um empréstimo de US$ 50.000. O fluxo de caixa da empresa para o mês é: 
    • Renda em dinheiro: 150,000.
    • Custos em dinheiro: 100,000.
    • Empréstimo recebido: 50.000 (por ser uma entrada de caixa)

Fluxo de caixa = receita de caixa - custos de caixa + empréstimo recebido = 150.000 - 100.000 + 50.000 = USD 100.000

Existem três tipos de fluxo de caixa: o primeiro e o segundo são os que mais interessam aos empresários!

  • O fluxo de caixa livre (também conhecido como fluxo de caixa livre): é o montante de caixa restante após uma empresa ter pago todas as suas despesas e reinvestido em seus negócios. Em outras palavras, o fluxo de caixa livre mede o montante de caixa disponível para a empresa pagar dividendos aos acionistas, pagar dívidas, fazer aquisições ou investir em novos projetos. Ele pode ser encontrado em calculado pela subtração do total de despesas da empresa (incluindo pagamentos de investimentos e pagamentos de despesas fixas e variáveis) do total de receitas (recebimentos de vendas) da empresa. Esse cálculo pode ser feito em diferentes períodos, de preferência mensalmente, e pode ser usado para avaliar a viabilidade econômica da empresa e sua capacidade de gerar caixa a longo prazo.

Fluxo de caixa das operações (CFO): é o fluxo de caixa gerado pelas principais atividades comerciais da empresa, como a venda de bens e serviços, a cobrança de contas a receber, o pagamento de faturas e o pagamento de salários. EÉ um indicador financeiro que mede o fluxo de caixa gerado pelas operações da empresa, ou seja, as entradas e saídas de caixa geradas pela atividade produtiva ou comercial da empresa, sem levar em conta o financiamento. É uma medida importante da capacidade da empresa de gerar caixa por meio de seu negócio principal. Em outras palavras, o CFO refere-se ao montante de caixa que a empresa gera em seu negócio principal, como vendas e receita operacional, menos as despesas operacionais, como custos de produção, salários e impostos. Isso significa que o CFO se concentra no fluxo de caixa gerado nas operações cotidianas da empresa, sem considerar os fluxos de caixa relacionados a financiamentos, como emissão de ações ou empréstimos. O CFO é um um indicador importante para medir a solidez financeira de uma empresa, pois mostra a capacidade da empresa de gerar caixa por meio de suas operações diárias. Um CFO positivo indica que a empresa é capaz de gerar caixa suficiente para cobrir suas despesas operacionais e financeiras, enquanto um CFO negativo indica que a empresa está gastando mais do que gera por meio de seu negócio principal e pode estar em risco de insolvência. É importante observar que o CFO não leva em consideração as despesas de capital, como a compra de ativos fixos ou o pagamento de dívidas de longo prazo, pois esses fluxos de caixa estão relacionados ao financiamento e não às operações diárias da empresa.

Diferenças entre o fluxo de caixa livre e o fluxo de caixa operacional

Fluxo de caixa livre e fluxo de caixa operacional são dois conceitos diferentes usados para avaliar a saúde financeira de uma empresa. O A principal diferença entre os dois está nos elementos incluídos em seu cálculo.

  • O fluxo de caixa operacional refere-se ao dinheiro que uma empresa gera por meio de suas atividades operacionais, ou seja, a diferença entre a receita operacional e as despesas operacionais. Esse indicador não leva em conta os custos de investimento e financiamento, como a compra de ativos ou a amortização de empréstimos.
  • O fluxo de caixa livretambém conhecido como fluxo de caixa disponível, refere-se ao dinheiro que a empresa tem disponível após o pagamento de todas as despesas, inclusive pagamentos de investimentos. Em outras palavras, é o dinheiro que a empresa tem disponível para investir em novos projetos, pagar dividendos aos acionistas, pagar dívidas, entre outros.

Em poucas palavras, A principal diferença entre o fluxo de caixa operacional e o fluxo de caixa livre é que o fluxo de caixa operacional leva em conta apenas as operações cotidianas da empresa, enquanto o fluxo de caixa livre inclui despesas de investimento, o que fornece um quadro mais completo da capacidade da empresa de gerar caixa.

  1. Fluxo de caixa do investimento: É o fluxo de caixa gerado pelas atividades de investimento da empresa, como a compra ou venda de ativos fixos, o investimento em novos projetos ou a aquisição de outras empresas.
  2. Fluxo de caixa financeiro: É o fluxo de caixa gerado pelas atividades de financiamento da empresa, como emissão de ações, empréstimos de bancos ou emissão de títulos.
  3. Fluxo de caixa total: Qual é a diferença entre o fluxo de caixa operacional e o fluxo de caixa total?

A diferença entre o fluxo de caixa operacional e o fluxo de caixa total é que o fluxo de caixa operacional se refere ao montante de caixa gerado pelas operações comerciais normais, sem levar em conta o financiamento externo, enquanto o fluxo de caixa total inclui todos os fluxos de caixa, tanto operacionais quanto financeiros, inclusive receitas e despesas de financiamento. Em resumo, o fluxo de caixa operacional mede a capacidade de uma empresa de gerar caixa a partir de operações, enquanto o fluxo de caixa total mede a capacidade de uma empresa de gerar caixa a partir de todas as fontes, incluindo operações, financiamentos e outras atividades.

Como o fluxo de caixa é usado para avaliar a saúde financeira de uma empresa?

O fluxo de caixa é usado como uma métrica fundamental para avaliar a saúde financeira de uma empresa. Uma empresa que tem um bom fluxo de caixa está em uma posição melhor para sobreviver a curto e longo prazo.

Para avaliar a saúde financeira de uma empresa, as seguintes etapas podem ser realizadas usando o fluxo de caixa:

  1. Calcular o fluxo de caixa operacional: É calculado subtraindo-se as despesas operacionais da receita operacional. Isso lhe dá uma ideia de quanto dinheiro a empresa gerou com suas atividades principais.
  2. Calcular o fluxo de caixa livre: Depois de calcular o fluxo de caixa operacional, as despesas de capital (investimentos em ativos fixos, como máquinas, equipamentos e propriedades) devem ser subtraídas para obter o fluxo de caixa livre. Isso indica quanto dinheiro a empresa gerou depois de investir em seus negócios.
  3. Analisar a direção do fluxo de caixa: Analise se o fluxo de caixa da empresa é positivo ou negativo. Um fluxo de caixa positivo indica que a empresa está gerando mais caixa do que gastando, o que significa que ela está em uma posição melhor para pagar dívidas, investir no negócio e pagar dividendos aos acionistas. Por outro lado, um fluxo de caixa negativo indica que a empresa está gastando mais dinheiro do que está gerando, o que significa que a empresa pode estar correndo o risco de ter problemas financeiros de longo prazo.
  4. Compare com a concorrência: Por fim, você deve comparar o fluxo de caixa da empresa com o de seus concorrentes no mesmo setor. Isso lhe dará uma ideia se a empresa está fazendo um bom trabalho na gestão de suas finanças e como ela se compara a empresas semelhantes.

Em geral, o fluxo de caixa é uma ferramenta útil para avaliar a saúde financeira de uma empresa e pode ser usada para tomar decisões importantes, como investimento comercial, expansão e pagamento de dividendos.

PARA AJUDÁ-LO A ENTENDER ISSO, DAREMOS UM EXEMPLO MUITO SIMPLES, QUE ACONTECE TODOS OS DIAS EM EMPRESAS REAIS:

  • Departamento de contabilidade: aqui, a única coisa que interessa à pessoa responsável é registrar uma venda ou uma compra nas contas na data em que ela ocorre (ou seja, de acordo com a sua competência).
  • Departamento financeiro: o responsável não se importa muito com o dia em que seu colega registra a venda na contabilidade. Ele só está interessado em saber quando receberá o dinheiro da venda no banco ou quando terá de pagar o dinheiro da compra. Isso é o que se chama de fluxo de caixa de uma empresa, ou seja, de uma forma muito simples:

Fluxo de caixa = entrada de dinheiro - saída de dinheiro

Sem dúvida, a parte financeira é a parte mais legal e empolgante de uma empresa e você deve ter um conhecimento mínimo sobre ela, pois as estratégias de crescimento que você definir estarão intimamente ligadas ao fluxo de caixa que você gera, ou seja, à necessidade ou não de solicitar financiamento externo.

DEFINIÇÃO DE FLUXO DE CAIXA

O fluxo de caixa, também conhecido como cash flow, fluxo de caixa ou fluxo financeiro, é o que mede a saúde econômica de uma empresa e determina sua capacidade de gerar lucros e cumprir todos os seus pagamentos. Em resumo, ele indica a situação financeira de uma empresa.

O conhecimento e o controle do fluxo de caixa nos permitirão responder a perguntas como:

OBJETIVO PRINCIPAL DAS EMPRESAS:

Se tivermos entendido corretamente as seções descritas acima, poderemos tirar três conclusões muito úteis para entender e melhorar o fluxo de caixa da nossa empresa:

  • O que nos interessa é quando o dinheiro entra e quando ele sai. Não quando a fatura é lançada.
  • Temos que tentar manter o PMC o mais baixo possível, ou seja, receber o pagamento o mais rápido possível.
  • Temos que tentar manter o MTP o mais alto possível, ou seja, pagar o mais tarde possível.

Teoricamente, parece muito simples, mas agora você precisa colocá-lo em prática e caberá a você negociar os MCPs e MTPs com seus clientes e fornecedores. Não será uma tarefa fácil, especialmente se forem grandes empresas com forte poder de mercado, mas você terá de fazer o melhor possível para adequá-los às suas necessidades de fluxo de caixa. Se você deseja otimizar seu fluxo de caixa, recomendo a DICA sobre gerenciamento de caixa (+).

É explicado de maneira muito simples e com exemplos práticos como o fluxo de tesouraria (+) o Fluxo de caixa em uma empresa. Ele permite que o empreendedor adquira o conhecimento mínimo necessário para gerenciar seus recebimentos e pagamentos diários. Um dos principais motivos pelos quais muitos empreendedores ou empresas startups (+), são forçados a fechar seus negócios, é por causa de uma interrupção no fluxo de caixa. Para que isso não aconteça com você, é preciso ter muito claro que a palavra RENDA não significa o mesmo que COBRANÇA e que a palavra DESPESA não significa o mesmo que PAGAMENTO.

Para ajudá-lo a entender isso, daremos um exemplo muito simples, que acontece diariamente em empresas reais.

  • Departamento de Contabilidade: A única coisa em que a pessoa responsável está interessada aqui é registrar uma venda ou compra nas contas na data em que ela ocorre (ou seja, em um regime de competência).
  • Departamento Financeiro: O responsável não se importa muito com o dia em que seu colega registra a venda na contabilidade. Ele só está interessado em saber quando receberá o dinheiro da venda no banco ou quando terá de pagar o dinheiro da compra. Isso é o que se chama de fluxo de caixa de uma empresa, ou seja, de uma forma muito simples:

Fluxo de caixa = entrada de dinheiro - saída de dinheiro

Sem dúvida, a parte financeira é a parte mais legal e empolgante de uma empresa e você deve ter um conhecimento mínimo sobre ela, pois as estratégias de crescimento que você definir estarão intimamente ligadas ao fluxo de caixa que você gera, ou seja, à necessidade ou não de solicitar financiamento externo.

Definição de fluxo de caixa

O fluxo de caixa, também conhecido como cash flow, fluxo de caixa ou fluxo financeiro, é o que mede a saúde econômica de uma empresa e determina sua capacidade de gerar lucros e cumprir todos os seus pagamentos. Em resumo, ele indica a situação financeira de uma empresa.

O conhecimento e o controle do fluxo de caixa nos permitirão responder a perguntas como:

  • Estamos gerando caixa suficiente para atender aos nossos fornecedores e credores?
  • Qual será o impacto de um investimento no fluxo de caixa esperado?

Diferença entre renda e cobrança

A A receita é gerada quando o direito de receber uma quantia em dinheiro pela venda de um produto ou serviço é gerado. (de acordo com o princípio de acumulação). No entanto, coleção, ocorre no momento em que essa quantia de dinheiro é recebida em nossa conta bancária ou em dinheiro. Esses dois eventos não precisam necessariamente ocorrer na mesma data, por exemplo sua empresa pode fazer uma venda hoje e não receber o pagamento por 30 dias.

  • Para fins contábeis, a venda seria registrada hoje.
  • O dinheiro chegará ao banco no dia 30.
  • Isso significa que nosso PMC (Período Médio de Cobrança) é de 30 dias, ou seja, o número de dias entre a venda e a cobrança.

Diferença entre despesas e pagamentos

A A despesa ocorre quando é gerada a obrigação de entregar uma quantia em dinheiro para a compra de um produto ou serviço. (de acordo com o princípio de acumulação). No entanto, o pagamento ocorre no momento em que entregamos a quantia de dinheiro ao nosso fornecedor, seja na conta bancária ou em dinheiro. Esses dois eventos não precisam necessariamente ocorrer na mesma data, por exemplo sua empresa pode fazer uma compra hoje e não pagar por ela por 60 dias.

  • Para fins contábeis, a compra seria registrada hoje.
  • O dinheiro não sairá do banco até o 60º dia.
  • Isso significa que nosso PMP (Período médio de pagamento) é de 60 dias, ou seja, o número de dias que se passam desde o momento da compra até o momento do pagamento.

OBJETIVO PRINCIPAL DAS EMPRESAS:

Se tivermos entendido corretamente as seções descritas acima, poderemos tirar três conclusões muito úteis para entender e melhorar o fluxo de caixa da nossa empresa:

  • O que nos interessa é quando o dinheiro entra e quando ele sai. Não quando a fatura é lançada.
  • Temos que tentar manter o PMC o mais baixo possível, ou seja, receber o pagamento o mais rápido possível.
  • Temos que tentar manter o MTP o mais alto possível, ou seja, pagar o mais tarde possível.

Teoricamente, parece muito simples, mas agora você precisa colocá-lo em prática e caberá a você negociar os MCPs e MTPs com seus clientes e fornecedores. Não será uma tarefa fácil, principalmente se forem grandes empresas com grande poder de mercado, mas você terá de fazer o possível para ajustá-los às suas necessidades de fluxo de caixa. Neste texto Diferença entre receita, cobrança e despesa, pagamento A estrutura da estrutura pode ser melhor apreciada e você poderá ver exemplos práticos muito simples para melhor compreensão e aplicação nos negócios.

APLIQUE ESTA DICA AO SEU PROJETO

QUIZZES

PENSE EM VOCÊ

PENSAR EM AJUDAR OS OUTROS

Avalie esta DICA!

Clique nas estrelas para avaliar

Classificação "30" - Média " - Média5"

Sem votos ainda, seja o primeiro a votar!

Lamentamos que você não tenha achado útil.

Ajude-nos a melhorar esta DICA!

Deixe-nos um comentário e diga-nos como você poderia melhorar esta DICA