Modelos de negócios inovadores

MODELOS DE NEGÓCIOS INOVADORES

Acelere seus negócios com estas dicas "Modelos de negócios inovadores". Analise e descubra esta DICA!

Há vários modelos de negócios inovadores que surgiram nos últimos anos, entre os quais alguns dos mais destacados são

  1. Modelo de assinatura: As empresas que utilizam este modelo oferecem seus produtos ou serviços em uma base de assinatura regular, o que permite uma maior lealdade e uma previsão mais clara da receita recorrente. Um exemplo deste modelo é o serviço de streaming de música Spotify.
  2. Modelo Freemium: Este modelo consiste em oferecer um serviço básico gratuito, mas também uma versão premium paga que inclui mais funcionalidades e recursos adicionais. Um exemplo de uma empresa que utiliza este modelo é o LinkedIn, que oferece um serviço básico gratuito e uma versão premium paga.
  3. Modelo de economia colaborativa: Este modelo é baseado na troca de bens ou serviços entre indivíduos, sem a necessidade de uma empresa intermediária tradicional. Um exemplo de uma empresa que utiliza este modelo é a Airbnb, que permite aos indivíduos oferecerem suas casas como acomodação temporária.
  4. Modelo de crowdsourcing: Este modelo consiste em terceirizar tarefas ou projetos para uma comunidade de pessoas via internet, permitindo assim uma maior eficiência e redução de custos. Um exemplo de uma empresa que utiliza este modelo é a plataforma de design gráfico 99designs.
  5. Modelo de venda em massa: Este modelo se baseia na venda de produtos através de redes sociais ou comunidades on-line, usando o poder das recomendações do usuário para aumentar as vendas. Um exemplo de uma empresa que utiliza este modelo é a empresa de cosméticos Younique.
  6. Modelo de mercado: Este modelo se baseia na criação de um espaço online que conecta compradores e vendedores, permitindo maior transparência e eficiência na transação. Um exemplo de uma empresa que utiliza este modelo é a Amazon, que permite aos vendedores particulares oferecerem seus produtos através de sua plataforma.

Estes são apenas alguns exemplos de modelos de negócios inovadores que surgiram nos últimos anos e que revolucionaram a forma como as empresas geram receita e criam valor para seus clientes.

O que caracteriza um modelo de negócios inovador?

Um modelo empresarial inovador se caracteriza por elementos diferenciadores em sua proposta de valor, na forma como gera receitas, em seu relacionamento com os clientes e na forma como utiliza seus principais recursos e atividades. Além disso, ele se concentra em identificar e satisfazer necessidades não atendidas no mercado e criar novas formas de gerar valor para os clientes e para a empresa. Portanto, o inovação é um elemento chave nestes modelos, enquanto buscam criar soluções perturbadoras que mudam a maneira como as coisas são feitas e criam novas oportunidades de negócios.

Qual é uma das vantagens de usar um modelo de negócios inovador?

Uma das vantagens de usar um modelo de negócios inovador é que ele pode permitem que uma empresa se diferencie de seus concorrentes e crie uma vantagem competitiva sustentável no mercado. Além disso, ela pode ajudar a empresa a identificar novas oportunidades de negócios e adaptar-se rapidamente às mudanças do mercado. Também pode aumentar a satisfação do cliente, oferecendo soluções inovadoras que atendam às suas necessidades de forma mais eficaz.

O que é interrupção no contexto de modelos de negócios inovadores?

No contexto de modelos de negócios inovadores, a interrupção refere-se à capacidade de uma empresa ou modelo de negócios de transformar radicalmente um mercado ou indústria existente. É uma inovação disruptiva que altera as regras do jogo e muda a maneira como as coisas são feitas em uma determinada indústria. A perturbação freqüentemente envolve a introdução de novos produtos, tecnologias ou modelos de negócios que são mais eficientes, mais convenientes ou mais acessíveis aos consumidores.

Também pode envolver o corte de intermediários ou a criação de novos mercados. A interrupção pode ser tanto uma ameaça quanto uma oportunidade para os negócios existentes, e muitas empresas estão constantemente procurando inovar e adotar novos modelos de negócios para acompanhar as mudanças do mercado.

Uma das tarefas que qualquer profissional com responsabilidades empresariais deve abordar periodicamente, seja ele CEO de uma empresa da Fortune 100, empreendedor em início de carreira, CEO de uma nova empresa ou Diretor Geral de uma PME, é questionar seu modelo de negócios, ou seja, como eles pretendem operar e ganhar dinheiro (ou valor social, no caso de uma ONG). Isto envolve não apenas analisar o atual, mas também considerar novos modelos que forneçam mais valor.

Para fazer isso, nada melhor do que entender de onde viemos e, sobretudo, quais são os modelos mais bem sucedidos dos últimos tempos, uma base sobre a qual extrair inspiração e questionar o próprio modelo. Os modelos comerciais no início do século XX eram bastante simples: você fazia algo / prestava um serviço e o vendia ao vivo. Gradualmente, no entanto, foram desenvolvidas novas formas alternativas de gerar renda.

DOIS DOS QUE TIVERAM MAIOR IMPACTO SOBRE O SETOR FORAM:

  • Gillette: Para explicar as implicações e as etapas anteriores deste modelo de negócio seria demorado (é freqüentemente usado como um estudo de caso nos cursos de mestrado), então vamos resumir: King Gillet sentiu que, se ele pudesse oferecer boas lâminas a um preço muito competitivo, os clientes teriam prazer em pagar pelas lâminas (o que exigiria substituição periódica).
  • Xerox: Quando em 1959 a Xerox introduziu seu modelo 914, com características muito além das das fotocopiadoras vendidas na época (e muito mais caras), decidiu inovar seu modelo de negócio: em vez de vender cada máquina da maneira tradicional, ela as alugaria cobrando um adicional de 0,04$ por cada cópia a partir de 2000 cópias por mês.

Nos últimos tempos tem havido uma certa preocupação com isso, dada a pressão global por maior competitividade e produtividade, o que, juntamente com o advento da Internet e da web colaborativa, tem levado a toda uma gama de modelos de negócios alternativos. Abaixo veremos alguns dos mais interessantes (obviamente não são modelos puros, e em muitos casos alguns têm traços de outros).

2 MODELOS (0 EMPRESAS DIVERSAS)

Estes são modelos comerciais nos quais existem pelo menos 2 (embora possa haver mais) grupos interdependentes de clientes (lados). Este tipo de modelo de negócios decorre do fato de que um lado só beneficia se o outro estiver presente e, portanto, o principal objetivo da empresa é facilitar a interação entre eles, atuando como um intermediário e maximizando o efeito de rede.

A premissa-chave para que esta abordagem seja bem sucedida é que ela deve atrair e criar valor para ambos os lados igualmente. Se ela só oferece valor real para um dos dois lados, o outro rapidamente diminui e deixa de ter qualquer valor próprio. Este tipo de modelo de negócios decorre do fato de que um lado só beneficia se o outro lado estiver presente e, portanto, o principal objetivo da empresa é facilitar a interação entre eles, atuando como um intermediário e maximizando o efeito de rede.

O premissa chave para que esta abordagem seja bem sucedida é que ela deve atrair e criar valor em ambos os lados igualmente. Se ela só oferece valor real a um dos dois lados, o outro rapidamente diminui e se torna inútil por direito próprio. Para este fim, geralmente um lado é subsidiado, ou seja, o serviço que você recebe é fortemente descontado (ou gratuito) às custas do lado não subsidiado. 

Um bom exemplo deste tipo de modelo de negócios e de como um modelo de negócios pode fazer um setor repensar seus dogmas é o jornal Metro (e todos os seus derivados): Há um lado subsidiado (o público em geral) que recebe um produto gratuito diariamente. O lado subsidiado subsidia o arurc,ates que consideram^ o modelo desde que haja uma base suficientemente grande de membros do outro lado (o público em geral).

Outros exemplos de modelos comerciais de dois lados incluem o Google (conectando anunciantes com usuários de seus produtos), fabricantes de consoles como o Nintendo Wii ou PS3 (conectando desenvolvedores de jogos com clientes), fabricantes de cartões de crédito (conectando compradores com varejistas) ou até mesmo a imprensa.

Apesar de não ser um caso "puro" de um modelo de negócios de múltiplas faces, achei o caso do operador Safaricom muito interessante, descrito lindamente no indispensável "Gurusblog". É uma operadora queniana que, além de operar como tal, detectou a necessidade de serviços bancários ágeis para uma grande parte da África rural... assim, aproveitando sua infra-estrutura e telefones celulares, inventou um sistema para as pessoas pagarem, coletarem e enviarem dinheiro.

Um exemplo que ilustra perfeitamente esses mercados (caso específico de um mercado de dois lados) pode ser encontrado em nossa juventude e as horas passadas em uma discoteca: um lado do mercado (as meninas, lado subsidiado) tinha acesso livre à discoteca, que era principalmente assumida pelo outro lado (os meninos que pagavam a entrada, esperando encontrar clientes suficientes do outro "lado"), bem como por uma fonte adicional de renda (as bebidas).

TAIL LONG TAIL

Seu nome foi cunhado por Chris Anderson em seu artigo Wired, e se baseia no fato de que em certos negócios existem recursos finitos que forçam a empresa/empresa a escolher vender somente os produtos que se espera que tenham as melhores vendas. O modelo é chamado de "Cauda Longa" após o fabricante de lâminas de barbear Gillette. É baseado na presença de uma oferta inicial atraente e muito barata que fideliza o cliente à máquina de barbear e posteriormente incentiva o cliente a continuar comprando produtos ou serviços.

Ela muda a obrigação e complexidade de vender novas unidades a cada mês apenas para ter uma renda recorrente além das unidades vendidas... ao custo de assumir uma perda inicial. Neste tipo de negócio é muito comum que o vendedor inicialmente perca dinheiro com o cliente, criando os lucros com cada compra subseqüente.

Além do exemplo anterior, as operadoras de telecomunicações nos oferecem outro exemplo muito didático: quando queremos mudar nosso telefone celular, vamos a uma operadora, o que nos torna uma oferta muito atraente (isca, assumindo o total ou uma grande parte do custo do telefone celular) em troca de um contrato de permanência de 1 ou vários anos (isca), que é onde são gerados os benefícios reais, derivados de ter um cliente vinculado.

NUVEM E SAAS (SOFTWARE-COMO-UM-SERVIÇO) 

Embora tecnologicamente não sejam nada iguais, em nível de abordagem comercial são muito semelhantes: a principal proposta de valor é baseada na transformação de um produto em um serviço e de um custo fixo em um variável. O cliente não precisa comprar um software caro (produto, custo edge), que deve então ser instalado em hardware adicional e pagar por uma assinatura e suporte (variável, periódico), mas paga para receber um serviço em uma base mensal (ou anual). 

Um dos exemplos mais conhecidos é o Salesforce: trata-se de software CRM (customer relationship management) onde o usuário só paga pelo acesso ao software (número de usuários) e por quais módulos precisa usar (funcionalidade), em vez de pagar por um CRM caro para comprar, instalar e manter. Outro grande exemplo de como um modelo SaaS pode mudar um mercado é a Business Intelligence: empresas como a LiteBi têm sido capazes de disponibilizar software de BI completo para qualquer empresa, independentemente do tamanho.

FREEMIUM 

Esta é uma particularização do modelo comercial de dois lados, onde um dos dois lados recebe continuamente um serviço/produto totalmente gratuito. Para que isso aconteça, os clientes não pagantes devem ser subsidiados por outra base de clientes ou mesmo por outro lado do modelo de negócios. 

A opção mais popular; e a que a maioria dos serviços de Internet hoje em dia utilizam é oferecer um serviço básico (gratuito) à maioria dos usuários, enquanto um pequeno número deles paga uma taxa para obter um serviço mais abrangente (premium). Isto só é possível se os serviços forem baseados em uma plataforma que agregue custos e torne o escalonamento muito barato (dado que os índices de usuários pagantes versus usuários gratuitos são geralmente em torno de 1-2%).

Dito isto, há uma série de maneiras adicionais de subsidiar a base de usuários gratuitos, o que pode envolver o uso de publicidade (embora esta seja freqüentemente uma escolha ruim, pois deixa o único fluxo de renda nas mãos de terceiros) ou encontrar outros canais de renda (bandas como Radiohead experimentaram este conceito, lançando suas músicas gratuitamente e lucrando com shows e merchandising).

Para maiores informações sobre este modelo, recomendo o excelente post de Chris Anderson "Free! Iy-, $0.00 Is the Future of Business".

CO-CRIAÇÃO E CROWDSOURCING

O Crowdsourcing é uma abordagem diferente para a criação de valor, baseada no envolvimento de uma grande multidão na solução de um problema ou na prestação de um serviço em troca de uma recompensa, que já discutimos várias vezes.

HÁ MUITAS MANEIRAS DE USAR A CROWDSOURCING COMO BASE DE UM MODELO DE NEGÓCIOS, MAS NA MINHA OPINIÃO AS MAIS INTERESSANTES SÃO:

  • Comunidades puras (da Wikipédia ou iStockPhoto ao Threadless), onde a multidão executa tarefas tipicamente feitas por pessoal interno e cujo modelo de negócios foi construído a partir desta abordagem.
  • Concursos/desafios é realmente uma particularização de um mercado de dois lados com algumas gotas de crowdsourcing: Vários usuários (lado comercial) propõem um problema às massas, e o vencedor do concurso (lado da multidão) é pago quando o concurso é resolvido. Um exemplo clássico são os leilões de design, como o 12Designer.
  • Ideágoras: Lugares onde as empresas podem "alugar" uma multidão para resolver problemas científicos ou tecnológicos em troca de uma recompensa, ou obter feedback muito valioso de clientes ou usuários (é uma materialização da Inovação Aberta). Os mais prestigiados são Worthldea (com presença na Espanha e algumas grandes idéias), Innocentive e NineSigma.

Neste tipo de iniciativa, as receitas normalmente surgem da captura de uma parte do valor das transações.

ALGUNS DOS ASPECTOS MAIS IMPORTANTES:

  1. Para que a iniciativa tenha sucesso, o mercado deve ser grande o suficiente (a multidão).
  2. O problema ou necessidade deve ser bem descrito e projetado de uma forma compreensível.
  3. Adquirir novos membros da multidão é fundamental, portanto o marketing assume um papel vital, além de incentivar os membros existentes a permanecerem envolvidos (gestão da comunidade).
  4. Uma recompensa apropriada (não apenas em termos de dinheiro) deve ser estabelecida.
  5. Definir um fluxo de caixa correto: Se for um modelo comercial do tipo concurso/desafio, é importante que os usuários "empresariais" paguem adiantado, para que a empresa tenha dinheiro suficiente até que o concurso seja resolvido.

Existem muitos outros tipos de modelos de negócios (Leilões, Baixo custo, Afiliados, Add-on, Aplicações móveis, Serviços/Consultos, Distribuição, Franquias, Concursos, Assinaturas, Venda de produtos virtuais...) que se você achar interessante discutirei em artigos futuros. Entretanto, recomendo que você veja a lista de modelos de negócios que Javier Martin (Loogb) explica muito claramente em seu website.

Da mesma forma, se você quiser estudar os modelos de negócios de empresas de sucesso (de Lego a Zara e Tata), recomendo que consulte The Business Model Database ..... Até mesmo o modelo de negócios dos piratas somalis foi analisado. Os modelos de negócios estão em constante evolução.

Às vezes é porque as tecnologias estão mudando e é necessário adaptar a forma como os produtos ou serviços são oferecidos aos clientes. Em outros momentos, a razão é que as preferências e necessidades dos clientes estão mudando, portanto as empresas têm que acompanhar a evolução das necessidades de seus clientes. inovando e se adaptando a um mercado em constante evolução.

Em qualquer caso, o modelos de negócios Os modelos de negócios que conhecemos hoje podem ser diferentes no futuro, podem continuar a ter sucesso como são hoje, e provavelmente ainda não sabemos que novos modelos de negócios virão no futuro.

  • Modelo de financiamento de multidões

Este tipo de modelo de negócios é baseado em um modelo de colaboração entre indivíduos e profissionais. Seu modus operandi é baseado no financiamento de multidões ou cooperação coletiva realizada pelos usuários da plataforma, que colaboram contribuindo com recursos financeiros. O objetivo é financiamento de idéias, negócios ou projetos que podem ser de grande valor para a sociedade.

Essas contribuições são geralmente feitas através de doações, ações, empréstimos ou royalties. Uma das principais vantagens é que muitos desses projetos que buscam financiamento muitas vezes se tornam viris, portanto, se o financiamento necessário for obtido, é mais fácil ter um grupo de clientes mais leal. No entanto, é preciso ter em mente que o O risco de anunciar um projeto que ainda não está em andamento significa que ele poderia ser copiado por outras empresas.

Um exemplo de sucesso é o caso do Relógios Smartwatch de seixos cuja primeira campanha tinha uma meta de 100.000 dólares. Entretanto, foi um sucesso tal que atingiu 10 milhões de dólares.

Isto lhes permitiu lançar seu principal produto antes que a Apple Watch entrasse no mercado, após o que foi adquirido pela FitBit.

  • Modelo de cadeia de bloqueios

O transformação digital é um fato ao qual mais cedo ou mais tarde as empresas precisam se adaptar, mas é muito melhor se o processo for agilizado e, além disso, sem ter que recorrer a intermediários. Um novo modelo de negócios que ainda está na sua infância. O novo sistema será totalmente desenvolvido e servirá para racionalizar uma infinidade de processos: em Modelo de cadeia de bloqueios. Este modelo é vantajosa porque implica um baixo custo para os usuários ao reduzir os intermediários.

Entretanto, o custo de implementação pode ser alto e a perda de chaves privadas pode causar um problema na recuperação de informações. A tecnologia Blockchain é muito útil em uma infinidade de casos, como por exemplo exemplo: em auditoria, gerenciamento da cadeia de fornecimento, detecção de falsificações ou ciber-segurança, entre outras áreas.

  • Modelo de plataforma multilateral

Algumas das empresas mais conhecidas e bem-sucedidas dos últimos tempos implementaram este modelo inovador que consiste em atuar como intermediário, reunindo dois ou mais grupos que buscam um interesse: o que é conhecido como o correspondência entre oferta e demanda.

Em troca, a plataforma gera receita através de publicidade ou comissões. Graças a este tipo de plataforma, há um benefício para os vendedores ou prestadores de serviços, e para os usuários que estão procurando uma vantagem, uma economia financeira ou um incentivo.

Além disso, a plataforma não precisa fazer um alto investimento em ativos. Entretanto, se não houver transações, nenhuma receita será gerada, portanto é necessário incentivar a negociação e melhorar a visibilidade da plataforma. Algumas das empresas mais conhecidas que obtiveram sucesso através deste sistema incluem Modelo de negócio Wallapop o Modelo Google.

  • Modelo de cauda longa

modelo long tail

Também conhecido como modelo de cauda longaEste tipo de negócio é baseado em um princípio matemático que tem provado ser muito bem sucedido: o princípio de Pareto. Este princípio se baseia no fato de que 20% de produtos irá gerar 80% de vendas. Portanto, contará com a venda de menos unidades de um grande número de produtos.

Algumas vantagens deste modelo de negócios são que há menos concorrência e é possível criação de produtos personalizados que visam grupos de clientes mais específicosIsto levará a uma maior satisfação. Entretanto, requer uma oferta e uma demanda suficientemente grandes para uma boa rentabilidade. eBay o Amazônia são um exemplo de grandes lojas que vendem uma grande quantidade de produtos de todos os tipos, mas em quantidades limitadas.

  • Dropshipping

O Modelo de negócios de dropshippingé a que muitas empresas preferem quando não têm capacidade de investir uma grande quantidade de dinheiro em maquinário, rede logística ou armazenagem. Neste caso, a empresa atua como intermediária, mas não possui fisicamente os produtos que vende para o clienteAo invés disso, a remessa será feita por um terceiro, que entregará o produto diretamente ao cliente em nome da empresa principal.

O melhor deste modelo comercial é que você não precisa ter um armazém ou investir uma grande soma de dinheiro adiantado, porém não seria possível oferecer uma personalização dos produtos e, portanto, uma qualidade inferior de atendimento ao cliente. Ebay ou o Comprar modelo são duas das plataformas que permitem a criação deste tipo de negócio.

  • Caixas de assinatura

O modelo de negócio de caixa de assinatura é uma das mais recentes e inovadoras que podemos encontrar. Através deste modelo de negócios, que é integrado ao modelo de assinatura, o cliente recebe regularmente uma série de produtos de seu interesse.

A idéia é que o valor dos produtos é maior em relação ao preço da assinaturaO cliente percebe que ele ou ela está comprando algo de grande valor. O problema com este modelo comercial é que os clientes não podem escolher os produtos na caixa, portanto, nem todos ficarão satisfeitos e isso pode até levar a cancelar a inscrição.

Alguns exemplos de empresas que implementaram com sucesso este tipo de negócio é a empresa de beleza Modelo Birchbox que oferece produtos de cuidados de beleza, Degustabox para receber produtos alimentícios ou Nonabox para receber produtos para bebês.

  • Modelo de economia colaborativa

modelo economía colaborativa

O intercâmbio de bens e serviços entre particulares tornou-se um modelo de negócio lucrativo, conveniente e com benefícios interessantes para as pessoas que oferecem seus bens ou serviços, bem como para as pessoas que os exigem. Um negócio que está em constante evolução e incentiva o uso e consumo responsável de bens e serviços.

Eles podem oferecer tudo, desde aluguel de casa, até carpooling, bens de segunda mão e até serviços de catering, entre muitas outras opções. O aspecto mais atraente deste modelo comercial é a ampla gama de nichos disponíveis no mercado, bem como a economia para os clientes.

Alguns exemplos de empresas que participam deste consumo colaborativo são o modelo da Airbnb com o fornecimento de alojamento privado para os viajantes, ou o Modelo de negócios de Blablacar e seu serviço de carpooling para reduzir o custo das viagens.

  • Computação em nuvem

Este modelo de negócios surgiu graças ao uso cada vez mais popularizado de informações digitalizadas (ver modelo de negócio digital). De particulares a grandes empresas, o mundo digital é uma realidade que requer ferramentas avançadas para um gerenciamento mais eficiente de toda a documentação em formato digital que se move todos os dias neste campo.

As aplicações criadas para gerenciar as informações na nuvem têm crescido de forma espetacular, pois permitem que grandes quantidades de dados sejam armazenadas, atualizadas, enviadas e até mesmo sincronizadas rapidamente e por taxas muito acessíveis.

No entanto, exige dependência absoluta da rede, com as irregularidades e problemas técnicos que isso pode acarretar em algum momento. Dropbox o Google Drive são exemplos de empresas que marcaram este sistema de armazenamento e gerenciamento de arquivos, com soluções adaptadas a indivíduos e empresas, armazenamento gratuito limitado e uma infinidade de funções.

  • Modelo de assinatura

Um modelo revolucionário quando começou a ser utilizado e agora um dos modelos mais conhecidos. Cada vez mais empresas estão optando pelo formulário de inscrição a fim de manter alguma segurança econômica para a implementar um sistema de assinatura para acesso a seus serviços.

Desta forma, para um pagamento regular, os clientes têm a oportunidade de acesso ilimitado a todas as funções e ofertas da empresa. Este modelo cria uma base de clientes estável e a empresa recebe receitas recorrentes.

Mas isso também significa que o cliente não aprecia mais o valor do que está comprando pelo preço que está pagando, e decide cancelar sua assinatura. Netflix de lona o Hootsuite são alguns dos exemplos mais conhecidos de implementação bem sucedida do modelo de assinatura.

  • Modelo Freemium

Uma versão mais recente do modelo de assinatura é o Modelo Freemium. Neste caso, os clientes têm a opção de poder experimentar o serviço e até mesmo usá-lo gratuitamente. No entanto, o negócio se adapta aos clientes que desejam desfrutar de funções exclusivas e, portanto, integra um modelo de assinatura para acesso ilimitado a todos os benefícios do produto ou serviço.

No entanto, este modelo é muito rentável, é necessário que haja uma quota suficiente de clientesA Comissão também decidiu que o cliente deve optar por assinar o acesso irrestrito, para que seja lucrativo manter a participação dos clientes que preferem usar o acesso básico. A aplicação musical com o Modelo de lona Spotify ou o Modelo de compressor de gás ou a aplicação podcast Ivoox são um exemplo de empresas que oferecem um serviço básico com a opção de atualização para um serviço mais avançado por uma taxa.

  • Modelo de negócios Chatbot

A chatbot é outra das idéias mais inovadoras que você pode implementar como um modelo de negócios em sua empresa. Mas o que é esta ferramenta? Um chatbot é um software que pode ser executado em websites ou redes sociais e que pode conversar com os usuários 24 horas por dia automaticamente resolver dúvidas ou resolver perguntas simples.

O melhor deste modelo de negócios é que ele permite obter leads, ou seja, novos clientes ou seguidores que aumentam o banco de dados de sua empresa, tornando-os muito úteis para a divulgação de novos negócios ou lançamento de campanhas de marketing. Entretanto, deve ser observado que ainda é uma secretária eletrônica automática, portanto nem sempre dará uma resposta satisfatória de 100%.

Alguns exemplos bem sucedidos de chatbots que melhoraram a experiência do cliente incluem Madison Reedum chatbot de uma marca americana que ajuda os usuários a encontrar a sombra perfeita de seu cavalheiro.

O empresa de colchões Casper também está comprometida com esta idéia inovadora, criando um chatbot que acompanha as pessoas que sofrem de insônia.

  • Modelo de negócios de gamificação

O modelo de negócios de gamificação é um conceito relativamente recente que, no entanto, melhorou muito a experiência do cliente, e é por isso que cada vez mais empresas a estão implementando em seus negócios.

A idéia é aumentar a proposta de valor de uma marca, transformando os clientes em "players".O objetivo do projeto é criar um novo serviço, ou seja, aplicando técnicas relacionadas ao mundo dos videogames para motivar os usuários a utilizar um determinado serviço.

Este tipo de estratégia melhora a fidelidade do cliente ao mesmo tempo, incentivando-os e motivando-os a continuar consumindo os serviços ou produtos de uma empresa através de um programa de recompensas, ranking, promoções, etc.

Um exemplo de gamificação é a Modelo de negócio DuolingoO site gratuito de aprendizagem de idiomas, que permite a você ganhar pontos e subir em um ranking no qual você compete com outros usuários. Ao atingir certos desafios, você obterá um certificado e subirá de nível.

  • Modelo de negócios Flash Sales

modelo negocio flash sales

O modelo comercial flash sais é baseado em lançamento, por um curto período de tempo, de ofertas muito atraentes que visam gerar um senso de urgência entre os clientes.. Graças à colaboração com uma multiplicidade de empresas de vários nichos, estas plataformas conseguem oferecer promoções incríveis com estoque muito limitado, que o cliente terá disponível apenas por alguns dias ou mesmo algumas horas.

O melhor deste tipo de negócio é que ele é capaz de atingir um bom volume de vendas em um espaço de tempo muito curto e permite que as empresas disponham de estoque acumulado. No entanto, é necessário um estudo rigoroso das margens de lucro a fim de evitar perdas.

Algumas das empresas de maior sucesso que fizeram das vendas flash seu modelo de negócios incluem Privalia o Groupaliaque oferecem produtos e serviços a preços muito baixos em um curto período de tempo a partir de uma grande variedade de marcas.

  • Modelo de negócios de e-learning

Recentemente, tornou-se muito na moda compartilhar conhecimentos na Internet com outros usuários. Este modelo de negócios de e-learning se baseia na criação de uma plataforma a partir da qual são oferecidos produtos digitais, também conhecidos como modelo de negócios infoproduto.

O objetivo é que os clientes possam desfrutar de conhecimentos que ampliarão seu treinamento ou simplesmente ajudá-los a desenvolver outras habilidades, on-line. Este modelo de negócios permite a venda direta, já que o acesso a cursos, webinars, guias ou ferramentas on-line é alcançado através de um pagamento único que dá acesso ao conteúdo completo.

Eles geralmente têm um grande número de seguidores e permitem uma renda passiva. Entretanto, o plágio é um dos riscos deste modelo de negócios.

Plataformas de e-learning, tais como o Modelo de negócios Udemy o Coursera são um exemplo de mídia que aposta no negócio de e-learning para oferecer cursos on-line pagos a seus usuários. Algumas delas são até mesmo endossadas por escolas ou universidades de prestígio, o que aumenta o valor de seus serviços.

  • Modelo de negócios comparativo

modelo de negocio de comparadores

O modelo de negócios do comparador é outro novo e bem sucedido empreendimento nascido da necessidade dos usuários de comparar todas as ofertas no mercado para encontrar a que melhor se adapta a suas necessidades, orçamento ou preferências. Assim, ao utilizar um único website, os clientes não apenas obtêm uma visão geral de toda a oferta disponível, mas também acesso direto a esses websites ou uma visão geral de todas as características e preços.

Uma das vantagens deste tipo de modelo de negócio é que ele dificilmente requer um grande investimento inicial, e se os clientes decidirem contratar algum dos serviços oferecidos pela plataforma, poderão obter taxas suculentas. Por outro lado, entretanto, é necessária uma estrutura complexa para garantir resultados atualizados de acordo com os critérios do cliente.

PODEMOS ENCONTRAR COMPARADORES PARA DIFERENTES CATEGORIAS:

Alguns dos sites de comparação on-line mais conhecidos incluem Idealoespecializada na busca de produtos dos mercados mais famosos, como o Amazon ou eBay, ou Preciosmundi para encontrar os melhores preços em diferentes supermercados ao redor do mundo.

APLIQUE ESTA DICA AO SEU PROJETO

QUIZ

PENSE EM VOCÊ

PENSAR EM AJUDAR OS OUTROS

COMPARTE

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
WhatsApp
Picture of Jaime Cavero

Jaime Cavero

Presidente de la Aceleradora mentorDay. Inversor en startups e impulsor de nuevas empresas a través de Dyrecto, DreaperB1 y mentorDay.
Comentários
Todos os comentários.
Comentários

Tabla de contenidos

  • mentorVIRTUAL: Soy tu mentorVIRTUAL. ¿alguna pregunta?

La respuesta tardará unos 20 segundos. Generando respuesta ...

modelos negocio innovadores

Avalie esta DICA!

Tu opinión es importante para ayudarnos a mejorar

Nº votos «4" - Média " - Média4.8"

Sem votos ainda, seja o primeiro a votar!

Lamentamos que você não tenha achado útil.

Ajude-nos a melhorar esta DICA!

Deixe-nos um comentário e diga-nos como você poderia melhorar esta DICA

Pular para o conteúdo