WikiTips de mentorDay

Logística internacional

LOGÍSTICA INTERNACIONAL

Acelere seus negócios com estas dicas de especialistas sobre "Logística Internacional". Analise e descubra essa DICA!

A logística deve garantir a satisfação total de seu cliente com a entrega dos produtos que você vendeu. A logística internacional refere-se à conjunto de atividades associadas, visando ao fluxo de informações e materiais em nível globalO processo começa com o fornecimento de matérias-primas em um determinado país e termina com a entrega do produto final ao cliente no país de destino. A logística é Se for complexo e exigir muito investimento e especialização, é melhor terceirizar para um dos grandes operadores logísticos que trabalham muito bem e a um custo muito razoável.

Atualmente, a logística é um aspecto extremamente importante da distribuição física. necessário para entender os processos e a regulamentação das exportações e importações de mercadorias, por meio da aplicação correta das formas de organização, financiamento, projeção e marketing internacional para obter como resultado uma melhoria em termos de tempo, dinheiro e esforço na entrega de um produto ao consumidor final.

Assim, ao implementar uma estratégia logística correta, o resultado será a redução de custos e o aumento das vendas local e globalmente, controlando os estoques e reduzindo o tempo entre os pedidos e as entregas, maximizando o uso de recursos financeiros, técnicos e humanos.

A tendência exige ser competitivo em um mundo globalizado, para o qual é necessário reduzir etapas desnecessárias, medir processos, reduzir custos e eliminar riscos a fim de aperfeiçoar o ciclo de entrega de pedidos, aperfeiçoar o processo de transmissão e processamento de pedidos, aperfeiçoar a produção de pedidos, a entrega de pedidos e a administração de pedidos, medindo a eficácia de cada processo para obter vantagens competitivas em nível global.

Os elementos que compõem a logística em nível global incluem

  1. Serviços.
  2. Necessidades.
  3. Planejamento.
  4. Processos como rotulagem.
  5. Transporte.
  6. Armazenamento.
  7. Manobras.
  8. Embalagem.
  9. Gerenciamento alfandegário.
  10. Vários atos que aumentam o atendimento ao cliente.

O constante avanço da logística internacional é produto do avanço tecnológico da globalização, que se baseia na teoria da oferta e da demanda, servindo como principal ferramenta de mercado que permite o crescimento econômico dos países, orientando sua produção para o cliente, para o que foi necessário implementar um marketing global com a moderna logística internacional.

Isso consiste em atender aos negócios conforme solicitado pelo cliente, aumentar o atendimento e a atenção ao cliente, reduzir o ciclo entre o pedido e a entrega, cumprir a data e os horários estabelecidos, aumentar a confiança na entrega e na qualidade do produto, para o que é importante levar em conta os seguintes pontos comunicação com o cliente e estar preparado em caso de emergências ou circunstâncias imprevistas.

Uma boa estratégia de logística reduz os custos da distribuição física, aumentando o serviço, tanto para o cliente quanto para os envolvidos, por meio do aumento da qualidade das informações e da especialização dos recursos, para reduzir o investimento econômico, mantendo os estoques em um nível mínimo e tornando os custos mais flexíveis, tornando-os variáveis.

O mais importante é que a entrega Just-in-Time foi garantida.

  • ROTULAGEM

Pode ser uma rotulagem comercial, de cuidados e marcação ou de importação, incluindo códigos, país de origem, quantidade e peso.

  • EMBALAGEM E ACONDICIONAMENTO

Ele deve oferecer a certeza da entrega do produto completo e em boas condições, sem aumentar os custos.

  • TRANSPORTE DE LONGA DISTÂNCIA

Deve-se decidir o meio de transporte que proporcionará uma entrega precisa em datas exatas, levando em consideração o desembaraço alfandegário.

  • ENTREGA OU TRANSPORTE DE CURTA DISTÂNCIA

Considere a pronta entrega, levando em conta os prazos de entrega e as quantidades, sem esquecer o desembaraço alfandegário envolvido.

  • DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM

Consistem em centros de distribuição onde as mercadorias são preparadas, verificando quantidades, classificação tarifária, códigos, pesos, etc., para serem armazenadas em prateleiras, se necessário, ou para serem distribuídas ao seu destino final, reduzindo automaticamente os estoques.

  • MANOBRAS E ARMAZENAMENTO

Consiste em organizar as mercadorias da melhor maneira para otimizar seu manuseio e minimizar os riscos.

  • DESEMBARAÇO ADUANEIRO

As mercadorias devem ser preparadas para o desembaraço aduaneiro, desde a forma como são armazenadas e etiquetadas até a apresentação de documentação precisa e exata, a fim de evitar atrasos e contratempos desnecessários.

Serviços de processos logísticos

Os elementos substantivos, que consistem em informação e cooperação, são ferramentas úteis para atingir metas por meio da comunicação processada, com base na qual o planejamento abrangente de operações conjuntas é realizado, como, por exemplo:

  • Pedido: Eles consistem em receber as vendas antecipadamente e permitir sua previsão.
  • Transmissão e processamento de pedidos: É a confirmação de pedidos para prepará-los e gerenciá-los em estoques e depósitos.
  • Rota de mercadorias: Planejar o transporte e a entrega de acordo com o tipo de cliente, a área e o horário.
  • Armazenamento e estoques: Gerencie os pedidos de carga e o controle de distribuição deduzindo automaticamente as mercadorias de seus estoques.
  • Contingências e reclamações: Eles medem os parâmetros de qualidade em caso de incidentes de entrega e reclamações para melhorar as condições de entrega e o atendimento ao cliente.

O resultado final da aplicação do processo logístico é a obtenção de maior competitividade em termos reais e concretos, reduzindo custos sem afetar a qualidade do produto e o atendimento ao cliente.

ATUALIZAÇÃO

Implementação do processo de logística internacional

Quando o processo de Logística Internacional é aplicado concretamente, coloca-se em prática todo um Sistema Integral que permite alcançar uma eficiência absoluta, envolvendo a gestão da informação e o conhecimento sobre a distribuição, onde o aspecto mais importante é a necessidade de que os clientes recebam seus pedidos na data estipulada, evitando estoques e reduzindo custos, sem parar a produção ou a comercialização, e que o consumidor final sempre ganhe com a entrega dos pedidos na hora certa para o cliente, evitando tempo, custos e riscos desnecessários.

Hoje, isso não é mais necessário, concentram-se na entrega de um produto de qualidade em um determinado período de tempo, mas como fazer com que ele chegue ao consumidor final no tempo exigido pelo cliente.

Para se tornar mais competitivo, é necessário seguir as próximas etapas do processo de logística internacional:

  • Você deve identificar as necessidades de consumo em volume e tempo, para não produzir mais do que o que será consumido nem produzir antes de ser consumido, de modo que apenas o que for vendido seja produzido, satisfazendo assim as necessidades dos clientes, considerando o volume de suas necessidades por pedido, podendo planejar os pedidos de acordo com os hábitos dos clientes.
  • Identificar métodos de armazenamento mercadorias que deverão ser armazenadas por um curto período de tempo, ocupando apenas a posição de descarga, que será a mesma posição de onde serão despachadas, tomando cuidado para não ocupar posições de risco devido ao manuseio, carga e descarga.
  • Identificar o momento certo A maneira como devem rotular, embalar e empacotar as mercadorias para cumprir as regulamentações alfandegárias e de comércio global, que exigem marcações específicas ou informações comerciais, sem duplo manuseio, atrasos e custos desnecessários.
  • Identificação dos meios de transporte para ajudar a reduzir o manuseio de carga e descarga e para conhecer as melhores maneiras de acondicionar as mercadorias de modo a não prejudicar a carga e descarga internacional, mediante solicitação da alfândega.
  • Localizar pontos de redistribuição das mercadorias, de modo a não fazer com que as mercadorias dos clientes viajem mais do que o necessário.
  • Considere o tipo de documentação que será exigida, seja alfandegária, fiscal ou comercial, a fim de evitar atrasos e custos desnecessários. Essa documentação inclui os aspectos técnicos do transporte e do seguro, bem como a documentação legal ou de liberação alfandegária.
  • Leve em conta os custos de manuseio e armazenamento na alfândega, que geralmente são despesas desnecessárias que podem ser evitadas se a documentação alfandegária e as mercadorias forem preparadas corretamente com antecedência, de modo que estejam em conformidade com as exigências legais de embalagem e rotulagem.
  • Ter um sistema de computador que forneça informações, comunicação e controle, a fim de gerenciar pedidos, documentos alfandegários, monitorar rotas, status do depósito e prever contingências para gerar soluções imediatas.
  • Integrar os participantes das cadeias produtivas e comerciais no processo de logística internacional para resolver problemas e implementar mudanças, uma vez que as decisões de logística internacional afetam a todos, a fim de alcançar as mudanças que a eficiência exige, conforme ilustrado abaixo.

DISCUSSÃO

A logística é uma ciência sofisticada que contribui para a solução de problemas com base no estudo de alternativas, com o objetivo de reduzir os custos de fabricação e entrega de produtos, atingindo a meta de ser mais competitivo em nível local, nacional e internacional. Atualmente, ocliente exige preço, qualidade e pontualidade na entrega, e é preciso considerar a possibilidade de obter tudo isso pelo menor preço.

No entanto, a logística não é barata, como evidenciado pelos tópicos mais importantes envolvidos, como embalagem, marcação, armazenagem, controle de estoque, sistemas de computador, manuseio de carga e descarga, transporte, alfândega, entrega e distribuição.

Existe uma forma muito em voga no mundo atual e amplamente utilizada por várias empresas pelo baixo custo com que presta serviços de logística de forma especializada, chamada de Terceirização, na verdade vários armazéns alfandegados e agências aduaneiras, entre outros, já a estão utilizando para prestar um melhor serviço a seus clientes, permitindo-lhes ser mais competitivos.

Apesar disso, embora tenham todas essas facilidades para serem mais competitivas, as mercadorias não podem chegar ao seu destino sem antes passar pela alfândega e, para entrar com determinado produto em determinado país, é preciso ter cumprido as normas fitossanitárias e sanitárias, já que os objetos para entrar nos países podem ser medicamentos que não têm permissão para produzir drogas proibidas, por exemplo, Por esse motivo, a alfândega garante o cumprimento rigoroso das normas, a apresentação de autorizações e os procedimentos alfandegários, como a verificação física e documental, para proteger a população mundial de diversas situações, desde possíveis surtos de novos vírus na população até situações muito mais complexas.

Mesmo assim, é possível fazer um planejamento perfeito e, para isso, o importador deve conhecer em tempo hábil sua classificação tarifária e, portanto, sua alíquota tarifária, que é apresentada no Sistema Harmonizado de Classificação e Codificação (mundial para 165 países do mundo, aprovado pela OMA) ou no Sistema Tarifário Centro-Americano (em nível da América Central).

É extremamente importante conhecer a classificação tarifária do produto a ser comercializado no exterior, a fim de levar em conta as restrições que ele possui, ou seja, os documentos que devem ser apresentados para o desembaraço aduaneiro, a tarifa que deve ser paga, as licenças que devem ser apresentadas, outros impostos internos que devem ser cumpridos, como restrições ao tabaco, imposto sobre valor agregado, entre outros.

Antes de apresentar as mercadorias para o desembaraço aduaneiro, é preciso conhecer a documentação necessária a ser apresentada, dependendo também do regime aduaneiro em questão, pois o que é necessário apresentar para alguns regimes não é necessário para outros, mas se por algum motivo algumas das informações necessárias para desembaraçar as mercadorias em poucas horas não estiverem disponíveis, haverá despesas e atrasos desnecessários, e as mercadorias não serão competitivas.

Além das informações necessárias para apresentar a documentação completa à alfândega, é importante levar em conta os custos da alfândega na logística, pois há escritórios alfandegários que prestam serviços de forma mais rápida e mais barata do que outros, alguns têm mais espaço para rampas do que outros e alguns estão mais bem localizados geograficamente do que outros.

E, por último, mas não menos importante, o último aspecto a ser tomado para apresentar a mercadoria com sua documentação completa à alfândega é a utilização de serviços profissionais adequados, que trabalhem a documentação de forma legal, aplicando seus conhecimentos com profissionalismo, para prestar um excelente serviço a seus clientes, cuja meta é ser competitivo, e eles conseguirão isso se contratarem um despachante aduaneiro eficiente.

RECOMENDAÇÕES

Para saber como a logística deve ser aplicada em diferentes negócios e a profundidade com que deve ser aplicada, é necessário aplicar os Fatores de Diferenciação, pois cada negócio é diferente e apresenta situações distintas que fazem com que a logística seja aplicável a um determinado negócio e totalmente inaplicável a outro.

  • PRIMEIRO FATOR

É observar os canais de distribuição, formados pelo conjunto de empresas ou indivíduos que possibilitam a fabricação, a distribuição e o uso de um determinado bem ou serviço. Quanto mais distante do consumidor final, mais complexa é a logística, pois há mais empresas envolvidas, e quanto mais próximo do consumidor final, mais serviços devem ser implementados.

  • SEGUNDO FATOR

É a relevância econômica e comercial, sendo necessário observar os casos de maior ou menor relevância econômica, para os quais a localização, os costumes, a diversidade e as necessidades dos clientes devem ser tomados como ponto de partida.

  • TERCEIRO FATOR

É a integração de esforços com o restante da cadeia de suprimentos. Deve-se implementar uma estratégia que motive os suprimentos a fazer parte da cadeia, a fim de aprimorar os sistemas, reduzir custos e garantir a entrega.

  • QUARTO FATOR

Temos as condições de entrega, atendimento e qualidade dos produtos e serviços oferecidos, com o objetivo de identificar a estratégia de atendimento ao cliente e o grau de satisfação obtido com o produto adquirido ou com o serviço prestado, em termos de qualidade e tempo de recebimento.

  • QUINTO FATOR

consiste em tecnologia aplicada e potencial; esse fator se refere aos sistemas de computador que são usados, mas há empresas que não têm acesso a essa tecnologia ou ela não está alinhada com a matriz.

  • SEXTO FATOR

Isso é extremamente importante, que é a padronização das partes, porque se você quiser obter resultados satisfatórios, deverá trabalhar sob o mesmo padrão, seu próprio padrão, com base em manuais, auditorias e políticas da empresa. Esses padrões consistem em escrever tarefas, objetivos e obrigações de cada parte integrante, o que permite, entre outras coisas, verificar se as tarefas não são duplicadas ou se são realizados processos desnecessários.

  • SÉTIMO FATOR

Consiste em verificar os custos diretos, indiretos e ocultos integrados para calcular o impacto dos custos sobre o produto e estabelecer regras para sua redução como parte da estratégia de logística. Assim, os custos diretos incluem transporte local e internacional, embalagem, sinalização, desembaraço aduaneiro, impostos e outras contribuições, manuseio, aluguel de contêineres e armazenamento, entre outros.

Os custos indiretos incluem atrasos, defeitos e danos, cancelamentos, entre outros, e os custos ocultos incluem aqueles que não podem ser programados, mas podem ser previstos, como contingências alfandegárias ou fiscais.

Os sete fatores diferenciadores acima devem ser aplicados à empresa que pretende implementar a logística, a fim de formalizar uma estratégia adequada e calculada com base em uma ciência exata e controlada como a Logística Internacional.

CONCLUSÃO

O comércio internacional vem se expandindo e se modernizando ao longo da história, até chegar aos dias de hoje, quando o mais importante é o prazo de entrega do bem adquirido, a necessidade do consumidor de obter seu produto no momento em que precisa e, para atender às necessidades do cliente, os fornecedores fazem o impossível para atender a essa necessidade, caso contrário, podem perder a venda para sempre.

Diante dessa situação, os fornecedores recorreram ao uso de estratégias de produção que melhoram os prazos de entrega a baixo custo, o que se traduz em logística internacional.

Essas estratégias incluem todos os fornecedores de bens e serviços, inclusive transporte, embalagem, armazenamento, rotulagem, alfândega e gestão de estoques, que, como elos integrados, fazem parte da cadeia produtiva e comercial juntamente com os compradores de bens, desde o momento em que surge a ideia de produzir determinado produto ou serviço até sua entrega ao consumidor final, trabalhando juntos para o mesmo fim, com comunicação eficaz e fluxo de informações eficiente, minimizando custos e otimizando recursos que são compartilhados entre os envolvidos.

No entanto, a parte fundamental da logística internacional está na automação dos processos, com um bom sistema de informática que permita aos envolvidos conhecer sua participação, anunciar seus processos operacionais, relatar seu grau de progresso e monitorar o processo, de modo que, se surgir alguma contingência que possa atrasar as cargas, seja possível encontrar uma alternativa que permita a entrega do produto na data e no horário estabelecidos.

Tudo com o objetivo de otimizar recursos, reduzir custos, estoques e prazos de entrega, sempre levando em consideração os documentos e regulamentos necessários exigidos pela alfândega em nível internacional para atingir o objetivo desejado: competitividade.

VEJA AS DICAS DE EMBALAGEM DA DHL

Meios de transporte marítimo internacional

As características são sua alta capacidade de carga e sua adaptabilidade para transportar todos os tipos de produtos, volumes e valores.

O baixo custo, comparado a outros modos de transporte, especialmente para grandes volumes e longas distâncias, torna esse modo o mais adequado para uma alta porcentagem de mercadorias comercializadas internacionalmente. O tráfego de contêineres e de carga geral segue determinadas rotas que são complementadas por transbordos, gerando assim uma intensidade crescente de fluxos. 

TIPOS:

O transporte marítimo oferece vários tipos de remessa e serviços: internacional, de cabotagem e de curta distância, como início ou continuação de uma viagem. Seu modo de operação comercial é classificado como de linha ou de fretamento. A carga unitária é o modo mais versátil: transporta gases, líquidos, cargas convencionais e roll-on/roll-off. 

A unidade mais utilizada, desde sua padronização, é o contêiner ISO, que permite a intermodalidade, melhorando os circuitos físicos e fazendo melhor uso das unidades de primeiro e segundo níveis. 

AGENTES

É difícil definir os limites das atividades do setor marítimo devido ao grande número de figuras pessoais envolvidas: porto, armador, linha de navegação, consignatário, corretor, estivador, alfândega e inspetor de fronteira são os mais comuns. 

CONTRATO DE TRANSPORTE E REGULAMENTO

O documento que comprova a existência de um contrato de serviço de transporte é o contrato de fretamento para linhas não programadas e o conhecimento de embarque para linhas programadas. Além de indicar os termos contratuais, o conhecimento de embarque serve como um aviso de recebimento e um instrumento negociável.

Apesar do fato de não haver unificação ou coordenação regulatória em termos de jurisdição, no transporte marítimo internacional os problemas processuais são mínimos e levam ao recurso às regras internas de cada estado. 

O regime de responsabilidade em nível nacional é regulamentado pelo Código Comercial e, em nível internacional, pelo Protocolo de Visby, pela Convenção de Bruxelas e pelas Regras de Hamburgo, estas últimas não ratificadas pela Espanha.

Principais documentos

  • Projeto de Lei Sea Way
  • Festa de fundação

(conhecimento de embarque do fretamento)

NOSSA RECOMENDAÇÃO

Embora a margem de risco seja muito baixa, podem ocorrer danos por motivo de força maior. Portanto, é aconselhável proteger o produto e o investimento por meio de um seguro de transporte.

Meios de transporte: transporte aéreo internacional.

CARACTERÍSTICAS

É o modo de transporte que mais cresce e deve conciliar a relação custo-benefício com a segurança e o respeito ao meio ambiente. A característica A característica mais notável é sua velocidade de movimento, e, portanto, transporta mercadorias de maior valor unitário, sensíveis ao tempo e perecíveis. 

Ele oferece serviços de média e longa distância, seus custos são altos e sua capacidade, em termos de peso e tamanho, é limitada. Os principais aeroportos estão funcionando em configuração de hub, o que aumenta a complexidade e a concentração das operações ao longo do tempo. A otimização da conectividade virá da relação funcional do aeroporto com seus arredores e suas infraestruturas. 

TIPOS

A operação comercial do transporte aéreo pode ser programada ou fretada, mista de carga/passageiro ou de carga. 

UNIDADE DE CARREGAMENTO

Dependendo do tipo e do modelo da aeronave, as características dos porões são diferentes: eles podem ser contêineresou convencional.

Os ULDs são usados em porões de contêineres, que podem ou não pertencer à aeronave, mas que devem estar em conformidade com os critérios técnicos da IATA. 

AGENTES

Os agentes de carga da IATA são a figura mais visível na cadeia de frete aéreo e coordenam os outros atores envolvidos, como gerentes de aeroportos, companhias aéreas, terminais de carga, serviços de inspeção de fronteiras e GSAs. 

CONTRATO DE TRANSPORTE E REGULAMENTO

Há um único documento de transporte, tanto para o transporte doméstico quanto para o internacional, chamado de conhecimento de embarque aéreo. É um documento nominativo não negociável, pode servir como um certificado de seguro e é regulamentado pela Convenção de Varsóvia e suas alterações posteriores.

MAIS DICAS:

Os acordos de "céu aberto" estão permitindo o acesso irrestrito das companhias aéreas ao mercado, alcançando assim o conceito de economia de escala. 

Por outro lado, destinos com um pequeno número de serviços criam custos altos e rígidos que têm um grande impacto sobre a competitividade do produto. 

VOCABULÁRIO

  • ULD (dispositivo de carga unitária): palete ou contêiner aéreo usado como carga unitária.
  • GSA (general sales agent, agente geral de vendas): agente que presta serviços de marketing e vendas a companhias aéreas em países onde elas não têm representação comercial ou têm representação comercial limitada. 

Na Internet, a IATA (International Air Transport Association, Associação Internacional de Transporte Aéreo) é a associação que representa 93 companhias aéreas regulares do %. (+ informações)

Meios de transporte internacional por ESTRADA

O transporte rodoviário teve um crescimento notável devido à sua grande capacidade de penetração e de chegar a qualquer ponto de carga ou descarga, independentemente de problemas ambientais e territoriais.

Em distâncias curtas e médias, é o modo mais competitivo, interage com os outros modos e atinge um alto índice de concorrência e subcontratação.

Fatores como o congestionamento, as altas taxas de acidentes e as infraestruturas que utiliza, juntamente com os derivados da poluição e do consumo de energia, estão forçando as administrações a repensar esse modelo de transporte. 

TIPOS

Dependendo de seu escopo, elas podem ser classificadas como urbanas, interiores, nacionais, internacionais e especiais; 

  • Dependendo de sua função, eles são divididos em regulares e discricionários. 
  • Dependendo da carga, de forma integral ou fracionada. 

UNIDADE DE CARREGAMENTO

Além das unidades intermodais, a unidade de carga secundária mais comum no transporte rodoviário unimodal é o palete. Os pesos máximos por eixo e as dimensões do caminhão determinam a carga e variam de país para país. 

AGENTES

Apesar de ser um setor altamente atomizado, o número de atores envolvidos no transporte rodoviário internacional é reduzido, em sua forma unimodal, em comparação com outros modos. Agências de transporte, serviços alfandegários e de inspeção são os principais operadores.

Contrato de transporte e regulamentação eO transporte nacional é regido pela guia de remessa como um documento e pelas disposições da LOTT e da LCTTM, e o transporte internacional é regido pela guia de remessa internacional e pela Convenção CMR.

AS LEIS APLICÁVEIS
  • LOTT: Lei de Ordenação dos Transportes Terrestres. 
  • LCTTM: Lei sobre o contrato de transporte de mercadorias por terra. 
  • CMR: Convenção sobre o Contrato de Transporte Internacional de Mercadorias por Estrada.

Meios de transporte internacionais FERROVIA

O transporte ferroviário é o modo com a menor participação na Europa, devido ao caráter nacional de suas redes. A liberalização e as políticas de harmonização e de investimento da UE para criar um espaço único, devido à segurança e ao respeito ao meio ambiente que representam, estão impulsionando esse ambiente. 

Com a infraestrutura correta instalada, ele pode ser competitivo para distâncias médias e longas, frete pesado, a granel e roll-on/roll-off, e demonstrou uma alta capacidade de automação e interoperabilidade com outros modais, como o marítimo. 

Estão sendo feitos esforços para fazer mais uso das rotas convencionais para o transporte de mercadorias e também para abrir a possibilidade de usar linhas de alto desempenho para transportar mercadorias com mais rapidez e segurança. 

TIPOS

A oferta atual está focada em carga total. O breakbulk ainda não pode competir com outros modais devido à rigidez comercial e operacional da ferrovia. 

UNIDADE DE CARREGAMENTO

A unidade de carga mais comumente usada em ferrovias é o vagão adaptado aos diferentes tipos de mercadorias e o contêiner marítimo ISO em seu uso multimodal.

Uma das consequências da privatização dos serviços ferroviários será o surgimento de novas unidades de transporte, como a estrada de rolamento em vagões. 

AGENTES

A ferrovia separa o gerenciamento da infraestrutura dos operadores ferroviários, operadores de transporte e terminais. Como nos outros modos, os serviços alfandegários e de inspeção também estão envolvidos. 

CONTRATO DE TRANSPORTE E REGULAMENTO

O transporte ferroviário nacional é regido pela guia de remessa ferroviária como um documento, pela LOTT e pela LCTTM, e o transporte ferroviário internacional é regido pela guia de remessa CIM, pela Convenção COTIF e pelas Regras CIM.

Transporte internacional. MULTIMODAL

O transporte multimodal integra dois ou mais modos de transporte diferentes para completar uma cadeia de distribuição da origem ao destino e, por meio de uma abordagem abrangente, faz uso mais racional das capacidades disponíveis. 

Os transportes ferroviário, fluvial e aéreo, por si só, não permitem o transporte porta a porta e enfrentam dificuldades durante sua combinação. Em uma viagem, uma mudança de modo de transporte é mais parecida com uma mudança de sistema do que com uma mera transferência técnica. 

Os custos de atrito resultantes têm um impacto sobre a competitividade do transporte intermodal e, sem um intermediário adequado, podem resultar em preços mais altos, tempos e viagens mais longos e menos serviços de qualidade disponíveis. 

O operador de transporte ou o agente de carga é o integrador dos diferentes modos e garante a pilotagem do processo de harmonização da unidade de carga, das datas e da documentação. O documento de transporte é o conhecimento de embarque de transporte combinado da FIATA, regulamentado pela Convenção de Genebra de 1980, mas ainda não ratificado por um número mínimo de países para aplicação internacional. 

O sistema atual é financiado e administrado de forma independente, o que o torna fragmentado e dificulta a determinação da responsabilidade por danos e convênios aplicáveis entre as partes relacionadas. 

VANTAGENS DO TRANSPORTE MULTIMODAL INTERNACIONAL:

  • Custos.
  • Confiabilidade.
  • Frequência.
  • Integridade dos produtos / segurança.
  • Flexibilidade.
  • Resposta a incidentes.
  • Tempo de trânsito.
  • Serviços complementares.
  • Sistemas de informação.
  • Procedimentos administrativos.

Operadora de transporte internacional

O operador de transporte internacional ou agente de carga é a pessoa física ou jurídica especializada na organização e no gerenciamento da cadeia de transporte de carga, em qualquer um de seus modos simples ou combinados. 

Além disso, pode oferecer e integrar serviços auxiliares de transporte, como agenciamento de frete, desembaraço alfandegário, seguro, armazenagem, distribuição e consultoria. 

A globalização tornou essas funções, de forma independente, um tanto obsoletas, e a iniciativa é o ingrediente básico para que o operador de transporte se afaste do papel de executor de ordens e adote uma atitude colaborativa nas transações internacionais, agregando mais valor às organizações. 

Em outras palavras, é necessário integrar as capacidades e entender o modelo de negócios da empresa internacional para identificar os obstáculos à fluidez do transporte, aproveitar as informações e a comunicação, simplificar a cadeia de suprimentos, reduzir os custos e melhorar o uso dos modos e da infraestrutura de transporte.

A LOTT reconhece essa figura e permite que ela emita vários tipos de documentos para controle e transporte como um intermediário contratual. Alguns dos documentos mais comumente usados são o conhecimento de embarque FIATA, como um documento de transporte multimodal, e o recibo de certificado de encaminhamento, como um certificado de recebimento.

CRITÉRIOS PARA VOCÊ SELECIONAR A OPERADORA DE TRANSPORTE INTERNACIONAL CERTA:

  • Qualidade do serviço.
  • Cumprimento dos prazos de entrega.
  • Custo.
  • Tratamento de mercadorias.
  • Resposta a incidentes.
  • Certificações de qualidade.
  • Proatividade.

Centros de distribuição

A alta densidade econômica de algumas regiões, a necessidade de reduzir custos e a exposição aos preços voláteis da energia estão criando uma concentração cada vez maior de negócios, atividades e rotas na cadeia de suprimentos internacional e facilitando o acesso das operadoras aos benefícios inerentes às economias de escala. 

Atualmente, um dos fenômenos que marcam a importância estratégica da logística são os centros de distribuição ou hubs internacionais, que atuam como ponto de trânsito para mercadorias pertencentes a uma área geográfica cada vez maior. 

A função desses hubs não é tanto ser um ponto de origem ou destino, mas servir como um centro de conexão, consolidação e redirecionamento de mercadorias de outros países. Sua proximidade tem vantagens e um claro efeito revitalizador na atividade econômica da área. 

A vantagem mais visível é a redução do tempo de provisionamento, e a influência, a tecnologia e a regulamentação dessas infraestruturas também influenciam a competitividade, maiores ofertas de serviços e melhor conhecimento operacional. 

Portanto, esses centros de logística estão intimamente ligados à realidade econômica do ambiente, e seu posicionamento depende de fatores geográficos, econômicos, culturais e de mercado, bem como da decisão dos operadores de mega-navios, aviões e trens.

A rede geral de transporte intermodal é estruturada em três níveis

O primeiro é composto por hubs globais, localizados basicamente no hemisfério norte; no segundo estão os hubs regionais, que também têm seu papel de concentração e distribuição, mas em menor escala; e, por fim, há os nós logísticos nacionais, juntamente com os territórios de influência. 

  • A DÍVIDA ADUANEIRA

A dívida aduaneira é o valor a ser pago que resulta da equação entre um valor tributável, o valor aduaneiro das mercadorias e uma alíquota de imposto. Essa alíquota de imposto é determinada pela classificação tarifária e pela origem das mercadorias.

ESSA DEFINIÇÃO DEFINE AS TRÊS CHAVES PARA OS COSTUMES, CUJO CONTEÚDO É DETALHADO NOS PARÁGRAFOS A SEGUIR: 
  • Valor alfandegário.
  • Origem das mercadorias.

Classificação tarifária 

A determinação desses três elementos geralmente envolve um estudo técnico complexo e é difícil determinar qual elemento tributário deve prevalecer no cálculo da dívida aduaneira para uma operação de comércio internacional. 

A dívida aduaneira é um custo fundamental a ser levado em conta no comércio. As empresas que estudam e recebem consultoria sobre os valores a serem liquidados em suas transações internacionais têm a garantia de não ter custos inesperados durante o período de validade das declarações alfandegárias.

A importação ou exportação de mercadorias também pode estar sujeita a taxas adicionais, antidumping, compensatórias ou impostos de exportação. Além da dívida alfandegária, Impostos indiretos, IVA e impostos especiais de consumo geralmente são pagos na importação.

Os direitos alfandegários máximos a serem pagos em uma importação podem ser vistos na tabela a seguir

Reduzidos por acordos preferenciais ou medidas de política comercial (suspensões, cotas etc.). O planejamento da importação deve ser feito para verificar quais medidas podem ajudar a reduzir os custos no pagamento de taxas alfandegárias.

Os direitos alfandegários são impostos cobrados sobre a importação de determinadas mercadorias. SA Comissão ainda não adotou uma abordagem ad valorem: uma determinada porcentagem é aplicada ao valor aduaneiro.

Base tributária (valor alfandegário) x taxa tributária = direito alfandegário

Exemplo: 100.000 € x 2,5 % = 2.500 €.

Entretanto, há outras alíquotas de impostos. Esses são os direitos específicos e misto. Os primeiros são direitos cujos A determinação deve ser feita de acordo com o número de unidades, peso ou volume dos produtos importados.

Base tributária (unidades, peso ou volume de mercadorias) x taxa do imposto = imposto alfandegário

Exemplo: 20.000 Tm x 12,00 €/Tm = 240.000 €

Por fim, são misturados aqueles que combinam ambas as taxas de tributação. Para as mesmas mercadorias, há uma taxa percentual que liquidará o imposto ad valorem. e, além disso, um tipo específico que tributado sobre as unidades, peso ou volume.

Base tributária (valor alfandegário) x taxa tributária = direito alfandegário

Base tributária (unidades, peso ou volume de mercadorias) x taxa de imposto = direito alfandegário

Exemplo:

Tipo misto

11,2 % + 23,8 €/QN (QN = quintal líquido)

100.000 € x 11,2 % = 11.200 €.

200 QN x 23,8 €/QN = 4.760 €.

Total de taxas alfandegárias = 15.960 €.

Valor alfandegário

O valor aduaneiro é o valor estabelecido pela Organização Mundial do Comércio (OMC), adaptado às notas, critérios ou regras emitidas pelo seu Comitê de Valores. O valor alfandegário das mercadorias corresponde a uma definição teórica. 

Essa definição é baseada no preço da fatura (no caso de uma venda) e, ao adicionar e subtrair determinados itens (frete, comissões, royalties, juros financeiros etc.), às vezes aumentando e às vezes diminuindo em uma soma algébrica, chega-se ao valor aduaneiro, que pode ser diferente do valor transacional. 

AS NORMAS DE VALOR PREVEEM DUAS FORMAS DE AVALIAR AS MERCADORIAS NO MOMENTO DA IMPORTAÇÃO:

  • O principal critério.
  • O critério secundário.

O critério primário baseia-se no valor da transação, ou seja, o preço pago ou a pagar pelas mercadorias importadas, enquanto o critério secundário é aplicado quando a transação não se qualifica para o valor da transação ou porque o valor da transação não existe.

O valor aduaneiro é o base tributável sobre a qual a tarifa ad valorem é aplicada e é um dos componentes da base do IVA de importação. Certifique-se de que o valor alfandegário esteja correto, pois ele é a base tributável para os impostos de importação e, portanto, afeta a determinação dos custos diretos da operação. 

Mais informações sobre avaliação alfandegária podem ser encontradas no site da Organização Mundial do Comércio: http://www.wto.org/indexsp.htm

Origem das mercadorias

É o conjunto de regras estabelecidas por um país ou estabelecidas por acordo mútuo entre dois países (ou grupo de países) que levam à determinação do país a ser considerado como o originador das mercadorias obtidas ou processadas. 

A COMPROVAÇÃO DE ORIGEM DAS MERCADORIAS É NECESSÁRIA PARA: 

  • A aplicação correta dos direitos alfandegários, que permite, quando aplicável, beneficiar-se das tarifas dos países que têm acordos específicos com a UE.
  • A aplicação correta de medidas não tarifárias estabelecidas na troca de mercadorias, como medidas fitossanitárias ou de política comercial. 
  • A possibilidade de certificar a origem comunitária de mercadorias exportadas para países com acordos preferenciais, para que possam ser importadas para esses países com benefícios tarifários. 

Assim, é feita uma distinção entre a origem preferencial e não preferencial das mercadorias, cujas regras estabelecem, entre outros aspectos, o grau de processamento a que um produto deve ser submetido para que as mercadorias resultantes sejam consideradas originárias do país onde o último processamento foi realizado, bem como os documentos a serem usados para comprovar a origem declarada.

A legislação comunitária prevê uma série de transformações básicas, as chamadas transformações insuficientes, que não permitem que a origem do produto seja alterada. As empresas precisam ser particularmente cuidadosas ao solicitar certificados de movimentação de EUR 1 para a exportação de seus produtos, pois precisam garantir que os produtos tenham sido processados o suficiente para serem considerados originários de acordo com os acordos entre os países negociados. 

Quando as mercadorias são importadas, o pagamento de impostos altera o status, mas não a origem.  Lista de verificação do esquema de origem a ser considerado para a certificação de origem não preferencial e preferencial. Classificação tarifária. TARIC

A necessidade de os países estabelecerem critérios comuns e regras uniformes em suas relações de comércio exterior levou à criação de uma nomenclatura tarifária que permitiria a codificação de mercadorias importadas e exportadas. 

A UNIÃO EUROPÉIA ESTABELECEU A TARIFA INTEGRADA DAS COMUNIDADES EUROPÉIAS TARIC, COM BASE NO SISTEMA HARMONIZADO DE DESCRIÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE MERCADORIAS, QUE PERMITE ESTABELECER:

  • Tarifas e outros encargos cobrados sobre mercadorias. 
  • As inspeções às quais a importação e a exportação de mercadorias estão sujeitas pelos serviços técnicos de inspeção de fronteira. 
  • Condições de política comercial aplicáveis, como cotas, preferências tarifárias e autorizações prévias de importação ou exportação. 
  • Consulta de estatísticas de comércio exterior. 

A classificação alfandegária é progressiva na disposição das mercadorias, de modo que seu ponto de partida são os produtos naturais em seu estado bruto, para avançar na classificação à medida que os produtos são processados, de acordo com seu material constituinte, sua função e o uso e destino das mercadorias.

A classificação correta das mercadorias é essencial para o sucesso das operações de comércio exterior.

A classificação tarifária pode ser complexa. Em caso de dúvida, é aconselhável solicitar informações tarifárias vinculantes, que nos darão segurança jurídica na classificação declarada em nossas operações. 

O Sistema Harmonizado de Classificação de Mercadorias é a linguagem indispensável que permite a identificação internacional de mercadorias com seis dígitos. 

Esse sistema foi desenvolvido na Organização Mundial de Alfândegas e a maioria dos países o adere.

Quase todas as mercadorias comercializadas no exterior são classificadas de acordo com os termos do Sistema Harmonizado. A adaptação do Sistema Harmonizado à União Europeia é a Nomenclatura Combinada. Essa nomenclatura possibilita a aplicação da Tarifa Aduaneira Comum (taxas alfandegárias comuns à UE). 

A Tarifa Integrada das Comunidades Europeias, TARIC, também determina medidas de política comercial que não sejam a Tarifa Aduaneira Comum. 

Mais informações sobre o Sistema Harmonizado de Classificação de Mercadorias podem ser encontradas na Internet em Site da Organização Mundial de Alfândegas.

Serviços técnicos de inspeção de fronteiras

Através da alfândega todos os produtos sujeitos ao comércio exterior passam por ele. Entretanto, nem todos os controles de importação ou exportação são realizados pela própria administração alfandegária. Nas fronteiras, determinados produtos, em virtude de seu status ou destino, devem estar sujeitos a controles de saúde externa, saúde animal, saúde vegetal, inspeção farmacêutica, qualidade comercial ou CITES. 

A inspeção pelos serviços é realizada por pessoal especializado em cada uma das áreas, que emite o certificado correspondente dando conformidade ao tráfego das mercadorias. Esse certificado deve ser apresentado junto com o SAD para liberar as mercadorias para importação ou exportação, conforme o caso. Em outros casos, será necessário que o consignatário das mercadorias realize as formalidades de importação em seu país. 

Se o resultado da inspeção não estiver em conformidade, as mercadorias poderão ser reexpedidas para outro país (fora da UE), destruídas ou confiscadas, conforme apropriado em cada caso. A inspeção pelos serviços técnicos de inspeção de fronteira geralmente exige a apresentação de certificados, emitidos nos países de origem, das mercadorias que garantem as condições e uma inspeção prévia antes de sua saída do país exportador. 

Ao receber mercadorias sujeitas a inspeção, certifique-se de que toda a documentação foi emitida corretamente na origem e, quando sua empresa estiver enviando as mercadorias, pergunte ao cliente qual documentação será necessária para a importação.

Operador Econômico Autorizado (AEO)

A Organização Mundial de Aduanas (OMA) criou a figura do operador econômico autorizado, como é chamado na União Europeia, com a missão de designar operadores confiáveis, ou seja, empresas da cadeia logística capazes de garantir a segurança. 

O Operador Econômico Autorizado (OEA) permite que as empresas consideradas como "parceiros confiáveis" pela administração alfandegária, após terem sido auditadas por ela, passem por menos controles alfandegários, de modo que suas mercadorias possam entrar e sair do território alfandegário da Comunidade sem problemas. 

É um uma ferramenta criada pela alfândega para evitar que verificações de segurança sejam realizadas indiscriminadamente em qualquer tipo de empresa. As empresas cujos procedimentos de segurança são auditados pela alfândega veem seus controles reduzidos e, portanto, têm de arcar com menos custos e descartar suas mercadorias mais rapidamente. 

O reconhecimento desses números entre países, dentro da estrutura da OMA, visa estabelecer cadeias logísticas seguras em nível internacional e garantir o tráfego fluido de mercadorias entre empresas que habitualmente realizam operações de comércio exterior. 

Tudo isso Isso implica um compromisso da alfândega de concentrar seus esforços na vigilância de operações não certificadas e de garantir a proteção dos cidadãos. Se a sua empresa realiza regularmente operações de comércio exterior, você deve considerar a possibilidade de obter a certificação OEA. Para isso, deve levar em conta as vantagens concedidas pela alfândega, que podem permitir uma redução nos tempos e custos de desembaraço, além de ter a marca corporativa perante seus clientes, seus fornecedores e a própria alfândega.

Padronização e avaliação da conformidade

A padronização é a atividade de desenvolvimento de padrões técnicos, que são documentos que estabelecem requisitos que definem as formas de fabricação de produtos, processos e serviços e as formas de gerenciamento de organizações. As normas são desenvolvidas em órgãos de padronização em nível nacional (por exemplo, AENOR), regional (por exemplo, CEN) ou global (por exemplo, ISO). 

É verdade que as normas técnicas públicas são o maior suporte de conhecimento global disponível para as organizações. As normas ISO, devido ao seu caráter universal, tornaram-se um elemento básico do comércio mundial, conforme evidenciado pelos testemunhos da Organização Mundial do Comércio (OMC) e pelo seu uso crescente na definição das condições técnicas para o comércio mundial. 

A caracterização, não apenas do produto, mas também de partes do serviço, por meio de referências às normas ISO, permite um entendimento melhor e mais rápido entre comprador e vendedor, além de facilitar a entrada em todos os mercados que as utilizam, que já são a maioria em todo o mundo. A identidade das normas ISO com as normas regionais (EN, no caso da Europa) e nacionais (UNE, no caso da Espanha) é uma vantagem adicional para seu uso.

Ao considerar a exportação de determinados produtos para um determinado país, é necessário conhecer, entre outras coisas, os requisitos técnicos obrigatórios (regulamentos administrativos) e os requisitos de mercado, tanto para o produto em si quanto para seus elementos adicionais, como contêineres e embalagens. Em ambos os casos, é aconselhável que o fabricante/exportador saiba quais regulamentos técnicos estão sendo usados no país de destino e sua correspondência com os padrões nacionais.

A inspeção

A compra e venda de mercadorias em mercados internacionais envolve vários riscos, tanto para o comprador quanto para o vendedor. Entre elas está o fato de as mercadorias cumprirem todas as exigências que se aplicam a elas, sejam elas impostas pelo comprador ou pela legislação do país de destino e também do país de origem. 

É por isso que o fabricante deve estar total e claramente ciente dos requisitos a serem atendidos pelo produto e também pela embalagem, acondicionamento e instruções de uso antes de despachar as mercadorias e até mesmo antes de produzi-las, sem esquecer a forma em que a evidência documental deve ser apresentada. 

A verificação pré-embarque da conformidade com os requisitos por uma entidade independente e tecnicamente competente oferece ao vendedor e ao comprador a garantia de que as mercadorias circularão sem problemas e não serão retidas no país de destino. 

PARA FAZER ISSO:

  • A documentação de conformidade deve ser recebida pelo comprador ou seu representante antes da chegada das mercadorias ao destino, para que as mercadorias possam ser liberadas pela alfândega quando chegarem.
  • Se necessário, a entidade de inspeção deve ser reconhecida pelas autoridades competentes. 
  • A entidade de inspeção deve ter uma rede que lhe permita intervir junto aos órgãos responsáveis quando, por qualquer motivo, as mercadorias forem retidas, a fim de agir com rapidez e eficiência para liberá-las.

O USO DOS SERVIÇOS DE UMA ENTIDADE DE INSPEÇÃO PODE SER ACONSELHADO POR:

  • Imposição do comprador. 
  • O vendedor, como medida de precaução. 
  • Crédito documental. 
  • A legislação do país de origem e/ou destino. 

EM QUALQUER CASO, O SOLICITANTE DOS SERVIÇOS DE INSPEÇÃO DEVE ENTRAR EM CONTATO COM A ENTIDADE ESCOLHIDA A TEMPO DE RESOLVER SATISFATORIAMENTE AS QUESTÕES A SEGUIR:

  • Considere que todos os requisitos foram atendidos. 
  • Tenha todos os documentos necessários (lista de embalagem, faturas, certificado de origem, relatórios de teste, etc.). 
  • Transmitir todas as informações para o local de uso.
  • Combine as datas de inspeção com o vendedor. 
  • Resolver quaisquer incidentes que possam surgir.

A CERTIFICAÇÃO

A certificação é uma ferramenta cujo objetivo final é dar confiança ao comprador de que um produto/processo/serviço ou sistema de gerenciamento está em conformidade com os requisitos estabelecidos em uma norma ou documento técnico. 

Sua diferença fundamental com a inspeção é que a inspeção verifica a conformidade em um local e momento específicos (foto), enquanto a certificação é de natureza contínua (filme): por meio de determinados mecanismos, ela garante que, durante um determinado período, um produto/processo/serviço/sistema de gerenciamento atenderá aos requisitos especificados.  Atualmente, A certificação tornou-se uma ferramenta quase obrigatória no mercado internacional.

Por exemplo, a certificação dos sistemas de gestão das organizações de acordo com a ISO 9001 ultrapassa 1,1 bilhão de certificados em 187 países, com a China liderando o ranking com mais de 328.000 certificados. De fato, alguns certificações, tornaram-se o cartão de visita de uma organização em determinados mercados, sem os quais não é possível entrar neles. 

A certificação e a inspeção não devem ser vistas como mutuamente exclusivas, mas complementares. É comum que o mercado exija a certificação de uma organização como um sinal precoce de bom desempenho em determinados aspectos (qualidade, meio ambiente etc.) e que o comprador, em particular, exija que os produtos que ele comprou sejam inspecionados para atender aos requisitos de fábrica, testes, integridade, identidade e carregamento. Então, uma atividade é redundante em relação à outra? Não.

 É comum que os resultados da inspeção de produtos fabricados por uma organização certificada sejam melhores, aumentando assim a confiança do cliente e permitindo uma inspeção menos intensiva. A inspeção é uma atividade que faz parte, em parte, da certificação. 

O processo de certificação exige a verificação e a auditoria das atividades de inspeção que uma organização realiza durante a fabricação de um produto ou a prestação de um serviço. Este é a razão pela qual as organizações certificadas estão mais bem preparadas para passar em uma inspeção do que as organizações que não são certificadas.

Como usar o Inteligencia Artificial (IA) para projetar a logística internacional mais adequada para uma empresa?

PARA USAR O CHATGPT PARA PROJETAR A LOGÍSTICA INTERNACIONAL MAIS ADEQUADA PARA UMA EMPRESA, SIGA ESTAS ETAPAS:

  1. Definir as necessidades da empresa: Comece entendendo as necessidades específicas de sua empresa em termos de logística internacional. Considere fatores como o tamanho e a natureza do seu negócio, os produtos ou serviços que você oferece e os destinos para os quais deseja exportar ou importar.
  2. Informe suas necessidades no bate-papo: Depois de ter uma compreensão clara das necessidades da sua empresa, você pode começar a usar o ChatGPT para projetar uma estratégia de logística adequada. Insira as necessidades no chat e aguarde a resposta do modelo com recomendações específicas.
  3. Analise as respostas: Analise cuidadosamente as respostas do ChatGPT para determinar se elas são adequadas às necessidades de sua empresa. Se necessário, forneça mais informações ou faça perguntas adicionais para obter mais detalhes.
  4. Faça ajustes conforme necessário: Se necessário, faça ajustes na estratégia de logística internacional recomendada pelo ChatGPT para melhor adaptá-la às necessidades específicas de sua empresa.
  5. Implementar a estratégia: Depois de finalizar a estratégia de logística internacional, implemente as recomendações e faça um acompanhamento regular para avaliar sua eficácia e fazer novos ajustes, conforme necessário.

APLIQUE ESTA DICA AO SEU PROJETO

TASK

ESTUDO DE CASO DE LOGÍSTICA INTERNACIONAL PARA UMA EMPRESA EM UM PROGRAMA DE ACELERAÇÃO USANDO O CHATGPT

  • Identificação da empresa: Vamos imaginar que estamos trabalhando com uma start-up de tecnologia no programa de aceleração. A empresa é especializada em desenvolvimento de software e tem visto uma grande demanda no mercado internacional.
  • Definição de necessidades: A empresa precisa de uma estratégia de logística internacional que lhe permita exportar seus produtos de software para diferentes países. A empresa tem um orçamento limitado, portanto, está procurando uma solução que seja econômica, mas eficiente em termos de tempo e qualidade de entrega.
  • Insira as informações no ChatGPT: Inserimos informações sobre a empresa e suas necessidades específicas no chat e esperamos que o ChatGPT nos forneça recomendações.
  • Respostas do ChatGPT: 
    • O ChatGPT nos fornece várias recomendações, como: 
      • Use um serviço de remessa internacional terceirizado para enviar produtos de software para diferentes países, pois isso pode ser mais econômico do que montar sua própria infraestrutura de logística.
      • Use um serviço de rastreamento de remessas para garantir que os produtos cheguem ao seu destino em tempo hábil.
      • Pesquise e cumpra as regulamentações e exigências alfandegárias dos países de destino para evitar atrasos e custos adicionais.
  • Ajustes e monitoramento: Avaliamos as recomendações fornecidas pela ChatGPT e fazemos os ajustes necessários para adaptar a estratégia de logística internacional às necessidades específicas da empresa. Em seguida, implementamos a estratégia e a acompanhamos regularmente para avaliar sua eficácia e fazer novos ajustes, conforme necessário.

Em poucas palavras, O ChatGPT nos ajuda a projetar uma estratégia de logística internacional adequada e econômica para a start-up de tecnologia no programa de aceleração, permitindo que ela expanda seu alcance globalmente de maneira econômica e eficiente.

Quiz

PENSE EM VOCÊ

PENSAR EM AJUDAR OS OUTROS

COMPARTE

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
WhatsApp
Picture of Jaime Cavero

Jaime Cavero

Presidente de la Aceleradora mentorDay. Inversor en startups e impulsor de nuevas empresas a través de Dyrecto, DreaperB1 y mentorDay.
Comentários
Todos os comentários.
Comentários

Tabla de contenidos

  • mentorVIRTUAL: Soy tu mentorVIRTUAL. ¿alguna pregunta?

La respuesta tardará unos 20 segundos. Generando respuesta ...

logística internacional

Avalie esta DICA!

Tu opinión es importante para ayudarnos a mejorar

Nº votos «15" - Média " - Média4.5"

Sem votos ainda, seja o primeiro a votar!

Lamentamos que você não tenha achado útil.

Ajude-nos a melhorar esta DICA!

Deixe-nos um comentário e diga-nos como você poderia melhorar esta DICA

Pular para o conteúdo